Núcleo de Multiatividades da ADUFRGS leva experiência para Encontro em Florianópolis

EncontroFloripa_15

No segundo dia do 3º Encontro Nacional do Proifes-Federação sobre Assuntos de Aposentadoria, realizado em parceria com a APUFSC-Sindical em Florianópolis, cinco oficinas temáticas debateram, promoveram e instigaram os professores e professoras aposentados presentes a manterem as atividades físicas, mentais e sindicais, participando da vida no sindicato e academia de formas diferentes, sempre com foco na qualidade de vida.

Na oficina “Relato do GT Multiatividades da ADUFRGS-Sindical”, os professores Jairo Alfredo Genz Bolter (diretor de Assuntos de Aposentadoria e Previdência) e Rosa Maria Magrinelli (coordenadora do Núcleo de Multiatividades) compartilharam as experiências do Núcleo, explicando como surgiu e a forma como atua dentro do Sindicato.

As relações entre o cerébro e uma vida ativa foram exploradas e estimuladas, especialmente a manutenção da atividade mental, em suas diferentes formas, durante a oficina “Neurociência, cidadania e educação ao longo da vida – Saberes e experiências a serviço da reorganização mental”, ministrada pelo professor Magno Medeiros, da Universidade Federal de Goiás (UFG). “Muitas vezes precisamos ‘resetar’ o cérebro, e exercitá-lo de diversas maneiras. Quando aprendemos algo novo, novas sinapses (conexões neurais) são criadas, independente da idade. Por isso é importante mantermos a prática de raciocinar analiticamente e artisticamente, ao longo de toda a vida”, afirmou Medeiros.

Na oficina “Aposentadoria e qualidade de vida”, a professora Fábia Pottes (ADUFEPE-Sindicato) indagou aos docentes presentes o que eles entendem por qualidade de vida. Em sua fala, Fábia ressaltou que “envelhecer é um privilégio, só não envelhece quem morre jovem”, e por isso é necessário trabalhar a questão do alongamento da vida ativa e útil desde as idades mais tenras. “Realizem constantemente atividades que promovam o bem estar mental”, aconselhou a professora, porque “com o término da carreira profissional, ocorre uma mudança do papel na vida, causando a perda do vícnulo com seu emprego e a rotina que costumava realizar, havendo a necessidade de encontrar uma nova referência”, ressaltou Fábia.

A psiconeuroimunologia, uma abordagem interdisciplinar para integrar os conhecimentos básicos de várias disciplinas, compreendendo a psiquiatria, psicologia, neurologia, neurociências e endocrinologia, foi o tema da oficina Psiconeuroimunologia e saúde, ministrada pelo professor Ricardo Tramonte (APUFSC-Sindical). “Nosso sistema de defesa é nosso corpo todo, e é importante conhecer o máximo possível, e estudar mais, para entedermos melhor as relações entre estímulos emocionais e psicológicos, alterando o sistema imunitário em bases neurofisiológicas”, explicou o especialista. Por isso, “sejam felizes, porque isso poderá auxiliar muita as suas defesas imunitárias”, concluiu.

Os “Direitos adquiridos e suprimidos” foram alvo da discussão na oficina coordenadas pelas professoras Elvira Barbosa Cortes, Maristella Saida e Rutildes da Fonseca, da APUB-Sindicato. “No nosso sindicato temos um curso preparatório para a aposentadoria, e temos um programa para que os professores que se aposentam continuem na universidade, como professor voluntário, de pesquisador e colaborador. Nossa proposta aqui é compartilhar nossas práticas para ajudar a fortalecer os sindicatos e intensificar a mobilização contra a Refoma da Previdência”, destacou Elvira.

A professora Teresa Sell realizou com os participantes do Encontro uma prática de Tai Chi e Chi Kung, que são práticas medicinais chinesas, cujos exercícios auxiliam no fortalecimento do sistema imunológico, mental, e na saúde e mobilidade em geral. “É preciso ter um corpo forte para conter um espírito ilimitado”, citou a professora, antes de realizar alguns exercícios práticos ao som de música ambiente.

Fonte: Proifes



Ver todos