Liberdade de Cátedra: orientações aos professores

bordas informativo

Liberdade de cátedra: orientações aos professores
Sob o falso dogma da verdade e da neutralidade, diversos atos estão sendo realizados e incentivados por figuras públicas e autoridades contra a liberdade de cátedra, contra a liberdade de ensino e contra a pluralidade de ideias em escolas, institutos e universidades de todo território nacional.

Projetos como o “Escola sem Partido” e atos estimulados sob esse mesmo viés principiológico confundem a educação escolar com aquela que é fornecida pelos pais, e, com isso, os espaços públicos e privados; impedem o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas; e negam a liberdade de cátedra e a possibilidade ampla de aprendizagem. Assim, é importante conscientizar e trazer amparos para que o professor possa ministrar suas aulas sem medo e receio de ataques sofridos.
O que fazer se o direito do professor for violado em sala de aula ou no espaço universitário?

Para responder a essa pergunta, diversas entidades organizaram-se para elaboração de materiais com orientações aos docentes sobre a divulgação e reprodução de materiais apresentados em aula, entrada de pessoas estranhas na sala e como o professor deve proceder se for ameaçado.

CONFIRA ABAIXO AS CARTILHAS:

Cartilha elaborada pelo Coletivo Nacional de Advogados de Servidores Públicos – CNASP

(CLIQUE AQUI)

Cartilha elaborada pela Federação de Sindicato de Professores e Professoras de Instituições Federais do Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico – PROIFES

(CLIQUE AQUI)

Destaca-se, ainda, o Manual de Defesas das Escolas. O manual foi construído coletivamente e assinado por mais de 60 entidades e organizações, apoiado pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, Ministério Público Federal e Malala Fund. O Manual de Defesa contra a Censura nas Escolas foi elaborado como uma resposta às agressões dirigidas a professoras e professores e a escolas como estratégias de ataque de movimentos reacionários à liberdade de ensino e ao pluralismo de concepções pedagógicas, princípios previstos na Constituição Federal (1988).  Acesse aqui.

Para agendamento de horário, entre em contato com o escritório Bordas Advogados Associados
das 9h às 12h e das 13h30min às 18h, de segunda à quinta-feira, através do telefone (51) 3228-9997 e email bordas@bordas.adv.br.

 



Ver todos